O que é Colágeno? Conheça 7 maneiras das quais o Colágeno pode Impulsionar sua Saúde

Você pode reconhecê-lo como um ingrediente em sua loção corporal favorita ou talvez notado suplementos no corredor de vitamina que o caracterizam. Mas o que é exatamente o colágeno – e como você pode incorporá-lo em sua vida? O colágeno é a proteína mais abundante em nossos corpos, especialmente o colágeno tipo 1. É encontrado nos músculos, ossos, pele, vasos sanguíneos, sistema digestivo e tendões. É o que ajuda a dar força e elasticidade à nossa pele, além de substituir as células mortas da pele. Quando se trata de nossas articulações e tendões, em termos mais simples, é a “cola” que ajuda a manter o corpo unido.

A produção de colágeno do nosso corpo naturalmente começa a desacelerar à medida que envelhecemos. Podemos agradecer este processo degenerativo por sinais de envelhecimento, como rugas, flacidez da pele e dores nas articulações devido à cartilagem mais fraca ou diminuída (olá, pernas de esqueleto). Outros fatores de estilo de vida – como comer uma dieta rica em açúcar, fumo e altas quantidades de exposição ao sol – também contribuem para o esgotamento dos níveis de colágeno. Verificou-se que as doenças relacionadas com o colagénio mais frequentemente surgem de uma combinação de defeitos genéticos, ingestão deficiente de alimentos ricos em colagénio, deficiências nutricionais e problemas digestivos que afetam a produção (síntese) de colagénio. Felizmente, consumir alimentos como caldo de ossos pode fornecer uma quantidade considerável dessa proteína vital, e se você está se perguntando o que é bom para o colágeno, fico feliz que você tenha perguntado.

Os 7 principais benefícios do colágeno

1. Melhora a saúde da pele e cabelo

À medida que envelhecemos, a produção de colágeno diminui – está acontecendo enquanto você lê isso! Você notará isso fisicamente: pele mais solta, mais rugas e menos elasticidade. O aumento dos níveis de colágeno pode ajudar a pele a parecer mais firme, aumentar a maciez e ajudar as células da pele a continuarem se renovando e reparando normalmente.

Estudos duplo-cegos controlados por placebo investigando as propriedades antienvelhecimento do colágeno descobriram que 2,5 a 5 gramas de hidrolisado de colágeno usado entre mulheres de 35 a 55 anos, uma vez ao dia, por oito semanas, melhorou significativamente a elasticidade da pele, a umidade da pele ea perda transepidérmica de água. secura) e rugosidade da pele, todos com pouco ou nenhum efeito colateral.  Isso faz com que o colágeno seja um dos melhores ingredientes naturais para o cuidado da pele disponíveis.

O colágeno também reduz a celulite e as estrias. Quando a pele perde sua elasticidade como resultado da diminuição do colágeno, há outro efeito colateral: a celulite mais visível. Como sua pele agora está mais fina, a celulite se torna mais evidente – não mais ocultar o que está acontecendo abaixo da superfície. Melhorar a elasticidade da sua pele através do colagénio ajuda a reduzir essa ondulação na sua pele.

2. Reduz dores nas articulações e degeneração

Você já sentiu como se tivesse “pernas de esqueleto”, os tipos que parecem mais duros e causam dor quando você se mexe? Sim, é provável que haja uma perda de colágeno em seu corpo. Isso porque, quando perdemos o colágeno, nossos tendões e ligamentos começam a se mover com menos facilidade, causando rigidez, inchaço nas articulações e muito mais.

Com sua estrutura suave e semelhante a gel que cobre e mantém os ossos juntos, o colágeno nos permite deslizar e mover sem dor. Pense em ingerir mais colágeno, como engraxar uma dobradiça de porta rangendo: ela ajuda suas articulações a se moverem mais facilmente, reduz a dor frequentemente associada ao envelhecimento e até reduz o risco de deterioração das articulações. Não é surpresa, então, que um estudo recente tenha descoberto que o colágeno é um tratamento eficaz para tratar osteoartrite e outras dores e distúrbios nas articulações.

Pesquisadores do Centro Médico Beth Israel Deaconess de Harvard, em Boston, descobriram que a suplementação com colágeno tipo 2 ajudou pacientes com artrite reumatóide a encontrar alívio dos sintomas dolorosos ao diminuir o inchaço nas articulações doloridas. Outro estudo publicado no International Journal of Medical Sciences constatou que pessoas com dor articular causada por osteoartrite tratadas com colágeno tipo 2 apresentam melhorias significativas nas atividades diárias, como subir escadas, subir ou dormir, e uma melhora geral em sua qualidade de vida. vida.

3. Ajuda a curar a síndrome do intestino permeável

Se você sofre de síndrome do intestino permeável, uma condição em que as toxinas ruins são capazes de passar pelo trato digestivo, o colágeno pode ser super-útil. Ele ajuda a quebrar proteínas e acalma o revestimento do seu intestino, curando paredes celulares danificadas e infundindo-o com aminoácidos curativos.

O maior benefício digestivo de consumir mais colágeno é que ele ajuda a formar o tecido conjuntivo e, portanto, “sela e cura” o revestimento protetor do trato gastrointestinal. Hoje, sabemos que muitas doenças podem ser rastreadas até a inflamação ou irritação decorrente de um intestino insalubre. A falta de saúde intestinal – incluindo mudanças no microbioma intestinal e permeabilidade no revestimento intestinal – permite que as partículas passem para a corrente sanguínea, onde elas podem dar início a uma cascata inflamatória (daí o nome síndrome do intestino gotejante).

Estudos descobriram que, em pacientes com doença inflamatória intestinal, as concentrações séricas de colágeno estão diminuídas. Como os aminoácidos no colágeno constroem o tecido que reveste o cólon e o trato gastrointestinal, a suplementação com colágeno pode ajudar a tratar sintomas e distúrbios gastrointestinais, incluindo síndrome do intestino permeável, IBS, refluxo ácido, doença de Crohn e colite ulcerativa. Além de ajudar a curar o intestino permeável, o colágeno também ajuda na absorção de água nos intestinos, mantendo as coisas se movendo mais livremente para fora do corpo.

4. Aumenta o metabolismo, a massa muscular e o rendimento energético

Um aumento no colágeno pode ajudar a aumentar o seu metabolismo, adicionando massa muscular magra ao seu corpo e ajudando na conversão de nutrientes essenciais. Um dos papéis mais importantes da glicina é ajudar a formar o tecido muscular, convertendo a glicose em energia que alimenta as células musculares. E lembre-se que a retenção de massa muscular é crucial à medida que envelhece, pois ajuda a apoiar a postura, a saúde dos ossos e queima mais calorias do que a gordura. Ao consumir o colágeno, você pode se beneficiar também de consumir vitamina C para garantir que seu corpo possa converter o colágeno em uma proteína utilizável. Isso pode começar a restaurar a fonte ou sua energia e vitalidade.

Isso não é tudo o que a glicina pode fazer pelo seu metabolismo. Pesquisas mostram que a glicina também tem papéis importantes em ambas as funções do sistema digestivo e do sistema nervoso central, que desempenham um papel importante na manutenção de um corpo saudável e jovem.  A glicina parece ajudar a retardar os efeitos do envelhecimento, melhorando o uso de antioxidantes pelo corpo e também é usada no processo de construção de células saudáveis ​​a partir de DNA e RNA.

Além disso, verificou-se que a arginina aumenta a capacidade do organismo de produzir proteínas a partir de outros aminoácidos, o que é importante para reparar tecido muscular, curar ferimentos, poupar tecido, estimular o metabolismo e ajudar no crescimento e desenvolvimento adequados. E a glutamina também ajuda a manter a energia adequada, facilitando a síntese de muitos produtos químicos. Este aminoácido fornece “combustível” para nossas células, incluindo carbono e nitrogênio.

5. Fortalece as unhas, cabelos e dentes

Unhas quebradiças? A culpa pode ser da falta de colágeno. Proteína de colágeno é o bloco de construção de suas unhas, cabelos e dentes. Adicionando colágeno em sua dieta pode ajudar a manter suas unhas fortes e possivelmente reverter sinais de perda de cabelo.

Um estudo publicado no Journal of Investigative Dermatology descobriu que há uma “relação essencial entre a matriz extracelular (ECM) e a regeneração do folículo piloso, sugerindo que o colágeno poderia ser um alvo terapêutico potencial para queda de cabelo e outras doenças relacionadas à pele”.

6. Melhora a saúde do fígado

Se pretende desintoxicar o corpo de substâncias nocivas, melhorar o fluxo sanguíneo e manter o coração jovem, o colagénio é extremamente útil. Isso porque a glicina ajuda a minimizar os danos que o fígado sente quando absorve substâncias estranhas, toxinas ou álcool que não deveriam estar passando por ele.

Uma das maneiras mais fáceis de limpar seu fígado é com um caldo de osso rápido. Eu geralmente recomendo uma desintoxicação de caldo de osso de três dias para reparar rapidamente o intestino gotejante. Isso pode ajudar seu corpo a se livrar de produtos químicos e “redefinir” seu intestino, melhorando a função imunológica geral. Estudos até descobriram que a glicina pode ser usada para ajudar a reduzir os danos hepáticos causados ​​pelo álcool e outras formas de lesão hepática aguda ou crônica.

7. Protege a Saúde Cardiovascular

O aminoácido prolina ajuda as paredes arteriais a liberar o acúmulo de gordura na corrente sanguínea, diminuindo a gordura nas artérias e minimizando o acúmulo de gordura. A prolina é necessária para o reparo tecidual nas articulações e artérias, além de ajudar no controle da pressão arterial. Como parte do colágeno encontrado nas articulações, ele protege nossos corpos dos efeitos da vibração ou do choque e nos ajuda a manter uma cartilagem valiosa à medida que envelhecemos.  Ele também está ligado à prevenção da arteriosclerose (endurecimento das artérias), uma vez que ajuda nossas artérias a evitar a formação de placas perigosas.

Além disso, a arginina ajuda na produção de óxido nítrico, o que permite uma melhor vasodilatação – ou seja, o alargamento das artérias e relaxamento das células musculares e vasos sanguíneos que permite uma melhor circulação.

O que é colágeno? Tipos e Fontes

O que é colágeno? Para começar, o procolágeno é o “precursor solúvel do colágeno formado pelos fibroblastos e outras células no processo de síntese de colágeno”. E, como afirma o Journal of Supramolecular Structure, “Colágeno na maioria dos tecidos de animais superiores e em muitos tecidos de animais inferiores toma a forma de uma corda com um alto grau de ordem. Como uma corda, que tem vários níveis de enrolamento, a fibrila de colágeno tem quatro níveis estruturais, dos quais pelo menos três são bobinas. A cadeia polipeptídica, a molécula e a microfibrila são estruturas helicoidais; a fibrila pode consistir de microfibrilas paralelas ou enroladas. ”

Além disso, de acordo com o Wellcome Trust Center for Cell-Matrix Research da Universidade de Manchester, “o colágeno é mais abundante nos tecidos animais como fibrilas muito longas com uma estrutura periódica axial característica.”  Fibrilas de colágeno são o que permitem a forma de tecidos a definir e manter. Essa assim chamada “estrutura microfibrilar” é o que compõe o colágeno.

Um fato pouco conhecido é que existem pelo menos 16 tipos diferentes de colágeno no corpo humano. Estes incluem colágeno tipos 1, 2, 3, 5 e 10. No entanto, a grande maioria do colágeno – entre 80 por cento e 90 por cento – consiste de tipos 1, 2 e 3. Colágeno tipo 1 é responsável especificamente por quase 90 por cento dos o suprimento do corpo de acordo com algumas descobertas.  Existem também diferentes tipos de colágeno encontrados em determinados alimentos ou usados ​​para criar produtos e suplementos de colágeno.

Veja uma visão geral dos diferentes tipos de colágeno, fontes de colágeno e seus principais benefícios, para que você possa determinar qual tipo de colágeno é o melhor:

  • Tipo 1 / Tipo I: Este é de longe o mais abundante, e quase considerado o mais forte, tipo de colágeno encontrado no corpo humano. É composto de fibras eosinofílicas que formam partes do corpo, incluindo tendões, ligamentos, órgãos e pele (derme). O colágeno tipo 1 também ajuda a formar os ossos e pode ser encontrado dentro do trato gastrointestinal. É muito importante para a cicatrização de feridas, dando à pele a sua qualidade elástica e elástica, e unindo o tecido para não rasgar.
  • Tipo 2 / Tipo II: O colágeno Tipo 2 ajuda principalmente a construir a cartilagem, que é encontrada nos tecidos conjuntivos. A saúde de nossas articulações depende da cartilagem feita de colágeno tipo 2, e é por isso que é benéfico para prevenir dores articulares associadas à idade ou vários sintomas de artrite.
  • Tipo 3 / Tipo III: O colágeno Tipo 3 é feito de fibras reticulares e um dos principais componentes da matriz extracelular que compõe nossos órgãos e pele. Geralmente é encontrado com o tipo 1 e ajuda a dar à pele sua elasticidade e firmeza. Também forma vasos sanguíneos e tecidos dentro do coração. Por estas razões, a deficiência de colágeno tipo 3 tem sido associada a um risco maior de ruptura de vasos sangüíneos e até morte prematura, de acordo com resultados de estudos em animais.
  • Tipo 4 / Tipo IV: O colágeno Tipo 4 tem o importante papel de formar a lâmina basal, que é encontrada nas células endoteliais que formam tecidos que envolvem órgãos, músculos e gordura. A lâmina basal é necessária para várias funções nervosas e vasculares. (16) Eles revestem a maioria dos nossos órgãos digestivos e superfícies respiratórias. A lâmina basal pode ser encontrada nos espaços entre a camada superior da pele / tecido e a camada mais profunda. Eles são uma camada fina de fluido parecido com gel que fornece almofada / acolchoamento para o tecido acima dele.
  • Tipo 5 / Tipo V: Este tipo de colágeno é necessário para tornar a superfície das células, bem como os fios e tecidos encontrados nas placentas das mulheres (o órgão que se desenvolve no útero durante a gravidez, fornece oxigênio e nutrientes para o bebê em crescimento) e remove resíduos).
  • Tipo 10 / Tipo X: O tipo 10 ajuda na formação de osso novo e na formação de cartilagem articular. Ela está envolvida no processo de ossificação endocondral, que é como o tecido ósseo é criado em mamíferos. Verificou-se ser benéfico para a consolidação e reparação das articulações sinoviais na fractura óssea.

Quando se trata de fontes de colágeno que recebemos de nossas dietas, as principais são alimentos muito ricos em proteínas, incluindo carne, frango, peixe e membranas de casca de ovo. Aqui está um pouco sobre como esses colágenos diferem e nos beneficiam:

Colágeno bovino (vaca ou vaca): O colágeno bovino vem de vacas, especificamente de sua pele, ossos e músculos. É feito principalmente de tipos 1 e 3 de colágeno, o que é um bom ajuste, considerando que estes são os tipos mais abundantes criados e encontrados no corpo humano. É um rico suprimento de glicina e prolina e, portanto, é útil para a produção de creatina, construção muscular e também para ajudar o corpo a produzir seu próprio colágeno.

Colágeno de frango: O tipo de colágeno mais abundante no colágeno de frango é o tipo 2, que é melhor para a construção de cartilagem. Isso faz com que seja benéfico para a saúde das articulações, especialmente porque essa fonte também fornece sulfato de condroitina e sulfato de glicosamina – ambos têm efeitos antienvelhecimento. A maioria dos suplementos que contêm colágeno geralmente usam colágeno de frango e fornecem o tipo 2.

Colágeno de peixes: Descobriu-se que o colágeno derivado do peixe é facilmente absorvido e fornece principalmente colágeno tipo 1, com os aminoácidos glicina, prolina e hidroxiprolina. Porque tipo 1 pode ser encontrado em todo o corpo, consumir mais colágeno de peixe tem sido associado com benefícios para as articulações, pele, órgãos vitais, vasos sanguíneos, digestão e ossos. A hidroxiprolina é um componente importante da hélice tripla do colágeno, e níveis mais baixos têm sido associados à degradação articular e, portanto, aos sintomas / sinais de envelhecimento. (19) A hidroxiprolina é necessária para a estabilidade do colágeno e é criada pela modificação dos aminoácidos prolina normais após a construção da cadeia de colágeno. Esta reação também requer vitamina C (para ajudar na adição de oxigênio), razão pela qual a deficiência de vitamina C pode causar anormalidades nos níveis de colágeno.

Colágeno da membrana da casca do ovo: O colágeno do ovo, encontrado nas cascas e no branco dos ovos, contém principalmente colágeno tipo 1. Ele também tem o tipo 3, 4 e 10, mas de longe o mais tipo 1, assim como o corpo humano (aproximadamente 100 vezes mais tipo 1 do que o tipo 4). (20, 21) Fornece sulfato de glucosamina, sulfato de condroitina, ácido hialurônico e vários aminoácidos que têm benefícios para a construção de tecido conjuntivo, cicatrização de feridas, construção de massa muscular e redução da dor / rigidez.

Quais são os peptídeos de colágeno?

Entretanto, tem havido muita publicidade acerca dos péptidos de colagénio no circuito de saúde e fitness ultimamente e por boas razões. Os peptídeos de colágeno contêm o mesmo conjunto exato de aminoácidos e nutrientes que o colágeno, mas passaram por um processo chamado hidrólise para decompô-los em cadeias mais curtas de proteínas.

Não só o colágeno hidrolisado pode ser dissolvido em água quente ou fria, mas também é muito mais fácil para o seu estômago quebrar e digerir. Ele também tem uma alta biodisponibilidade e pode ser absorvido pela corrente sangüínea mais rapidamente do que a proteína normal de colágeno, dando-lhe mais retorno para seu investimento quando se trata de nutrição. O melhor de tudo, possui o mesmo conjunto de benefícios de peptídeos de colágeno como a proteína de colágeno, o que significa que pode ajudar a melhorar a pele e o cabelo, aliviar a dor nas articulações e otimizar a saúde do seu intestino.

Devido ao seu comprimento de cadeia mais curto, versatilidade e alta biodisponibilidade, os peptídeos de colágeno são uma ótima opção se você quiser começar a suplementar com colágeno em sua dieta. Procure por termos como “peptídeos de colágeno”, “colágeno hidrolisado” ou “colágeno hidrolisado” no rótulo de ingredientes do seu suplemento para garantir que você está recebendo o negócio real.

Fatos de nutrição de colágeno

O colágeno é muitas vezes referido como uma “proteína complexa”, o que não é surpreendente, considerando que contém cerca de 19 aminoácidos diferentes. Estes incluem uma mistura de tipos não essenciais (também chamados condicionais) e essenciais. O colágeno é uma ótima maneira de obter aminoácidos condicionais, como arginina, glutamina, glicina e prolina.

O colágeno é composto de três cadeias, enroladas juntas em uma tripla hélice firme. Cada cadeia tem mais de 1.400 aminoácidos de comprimento!  A prolina e a glicina são os principais tipos de aminoácidos encontrados nas cadeias de colágeno. Tanto a prolina quanto a glicina são dois importantes aminoácidos que não são abundantes em carnes de animais, que é onde a maioria das pessoas que consomem uma “dieta ocidental” obtém a maioria de suas proteínas. Isso significa que as pessoas não têm esses aminoácidos em suas dietas – já que regularmente evitam comer algumas das melhores fontes naturais (como carnes de órgãos).

Por razões que você verá abaixo, os aminoácidos “não essenciais” são realmente muito importantes – por isso, não deixe o nome enganar você! Em circunstâncias normais, elas são produzidas pelo seu corpo. No entanto, quando você está doente, sob muito estresse físico ou emocional, ou não é saudável, seu corpo pode não ser capaz de produzir o suficiente desses aminoácidos por conta própria. O corpo então precisa de ajuda de fontes externas, principalmente sua dieta ou suplementos, para obter o seu preenchimento.

Os maiores percentuais de aminoácidos encontrados no colágeno, juntamente com alguns de seus principais benefícios, incluem:

Prolina: Proline representa quase 15 por cento do colágeno. A prolina e a glicina, em particular, desempenham um papel importante para garantir que o seu corpo funcione sem problemas. A prolina ajuda a proteger a integridade dos vasos sanguíneos, melhora a saúde das articulações e tem vários benefícios cardiovasculares.

Glicina: Cerca de um terço da proteína encontrada no colágeno é glicina. Enquanto tamanho é o menor aminoácido, a glicina tem grandes efeitos. Para garantir que nossas células funcionem adequadamente, a glicina ajuda a construir fios de DNA saudáveis. É também um dos três aminoácidos que formam creatina, que promove o crescimento muscular saudável e aumenta a produção de energia durante os treinos.

Glutamina: Considerado um dos mais importantes e abundantes aminoácidos do corpo, a glutamina é criada tanto dentro dos músculos como também obtida a partir de fontes alimentares. Pesquisas mostram que a glutamina tem benefícios para prevenir ansiedade, tensão, distúrbios do sono / insônia, falta de concentração, saúde digestiva fraca, sistema imunológico debilitado e baixa energia. De acordo com um relatório publicado no American Journal of Clinical Nutrition, tem-se mostrado efeitos positivos da produção do hormônio do crescimento, que pode melhorar os aspectos da saúde mental, como ajudar na liberação de GABA que aumenta a sensação de “calma e tranquilidade interior”. ” O nitrogênio, criado pela glutamina em grandes quantidades, também ajuda na cicatrização de feridas e previne o desgaste muscular e dores articulares.

Arginina: A arginina (também conhecida como L-arginina) se decompõe em óxido nítrico dentro do corpo, que é um composto importante para a saúde arterial e cardíaca.  A arginina também demonstrou melhorar a circulação, ajudar a fortalecer o sistema imunológico e tem uma influência positiva na libido masculina.

As principais formas de consumir mais colágeno incluem:

Fazer ou beber caldo com osso; 

Usando pó de proteína feito de caldo de osso em receitas. Você pode consumir caldo de osso por conta própria ou usá-lo em todos os tipos de receitas doces e salgados, dependendo do tipo de produto.

Tomar suplementos de colágeno.

Um suplemento de colágeno pode ser encontrado tipicamente como colágeno hidrolisado, que ajuda a formar o novo colágeno. Quando você hidrolisa o colágeno, os peptídeos de colágeno tornam-se biodisponíveis.
E, finalmente, comer uma dieta bem arredondada que ajuda a aumentar a absorção do peptídeo de colágeno que você consome.

Nossos ancestrais engoliram um pouco do colágeno como um modo natural de vida, desde que as dietas tradicionais anteriores incorporavam a alimentação de animais inteiros. Simplificando, eles comeram muitas partes de animais, como pele, tendões e ligamentos, que agora comumente evitamos ou descartamos.

Felizmente, está ficando mais fácil do que nunca “voltar ao básico”. Uma das minhas maneiras favoritas de aumentar o consumo de colágeno é fazendo um caldo de osso caseiro, como a minha receita de caldo de osso de galinha, ou encontrar alguns feitos de carne bovina. É uma maneira saudável, deliciosa e econômica de usar partes de um animal que não podem ser consumidas diretamente – sem desperdício aqui! Caldo de osso também é insanamente bom para você. À medida que essas partes de animais não comestíveis fervem por horas ou dias, elas liberam colágeno em um caldo fácil de absorver.

Suplementos de colágeno, como pó de proteína de colágeno, são outra maneira fácil de aumentar sua ingestão de colágeno. Certifique-se de pegar o pó de bovinos alimentados em pasto (sem antibióticos ou produtos químicos). Suplementos de colágeno podem ser misturados em smoothies, sopas ou mesmo em assados ​​para fornecer benefícios saudáveis ​​do colágeno sem acrescentar qualquer sabor às suas refeições favoritas.

Considerações Finais sobre Colágeno 

É importante notar que há muitos fatores que apóiam a formação e o uso de colágeno no corpo – como vitamina C, manganês, cobre, prolina e alimentos ricos em antocianidinas (como mirtilos, cerejas e amoras). Para que o colágeno seja ativado no corpo, você sempre quer tomar seus suplementos com uma fonte de aminoácidos e vitamina C, se possível, ou certificar-se de que seu suplemento já inclui esses nutrientes ativadores para garantir a absorção e a utilidade. Não se esqueça também de optar por produtos de colágeno hidrolisado, como os peptídeos de colágeno, para otimizar a biodisponibilidade e a digestão do seu suplemento.

Além disso, enquanto muitos cremes e pós reivindicam a revitalização da pele pela adição de colágeno, as moléculas desses produtos tópicos geralmente são muito grandes para a sua pele realmente absorver. Através dos caldos de ossos e suplementos, você vai melhorar seu corpo de dentro para fora. Em outras palavras, você pode economizar seu dinheiro quando se trata de slathering colágeno diretamente em sua pele.

Por último, esteja ciente de que certos alimentos – especialmente os pesados ​​em aminoácidos – promovem o crescimento de colágeno mais do que outros. Produtos de origem animal, como ovos, aves, peixes e leite, podem ajudar a aumentar a formação de colágeno. Mas amantes vegetarianos, não temam! Você também pode usar colágeno em receitas para sua família ou crianças, como gelatina saudável caseira ou lanches de frutas naturais.

 

 

 

 

 Fonte: Josh Axe
Tradução: www.draxe.com
Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *